ACE Santa Cruz lamenta nova prorrogação de fase emergencial que mantém comércio fechado

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Santa Cruz do Rio Pardo, Artur Alberto Andrade Araujo, lamentou a prorrogação da fase emergencial de enfrentamento à pandemia do coronavírus até o dia 11 de Abril, anunciada hoje pelo Governo do Estado de São Paulo.

As medidas mais rígidas de restrição de circulação e atividades estão em vigor nas 645 cidades do estado para frear o aumento de casos e mortes por Covid-19 e reduzir a sobrecarga em hospitais públicos e particulares.

“Já pudemos verificar que esse tipo de medida não tem surtido o efeito esperado e quem tem sido prejudicado é a classe de empresários, que em Santa Cruz, já amarga mais um fechamento de um mês. Assim muitos negócios correm o sério risco de fechar suas portas. É necessário mais prudência na tomada dessas decisões”, pontua.

Desde o dia 15 de março, a fase emergencial determina toque de recolher nos 645 municípios todos os dias, entre 20h e 5h, além de impedir o acesso a parques e praias. Qualquer tipo de aglomeração está proibido. O uso de máscaras deve ser intensificado em qualquer ambiente interno ou externo de acesso público. As escolas da rede estadual só estão abertas para distribuição de merenda a alunos carentes e entrega de materiais mediante agendamento prévio. Para reforçar o distanciamento social e reduzir a circulação urbana, a fase emergencial aumenta restrições de algumas atividades comerciais autorizadas na etapa vermelha do Plano São Paulo.

Voltar à pagina anterior
Ver todas as notícias